O PROFISSIONAL DE EVENTOS

EVENTOS Profissional de Eventos – Não é de hoje que “vira e mexe” temos notícias pela TV, rádio ou jornais, que um determinado “produtor(a) de eventos” estava envolvido em algum crime. Acontece que infelizmente, na maioria das vezes, os bandidos se utilizam desta profissão séria, para criar uma máscara e se esconder. Serve para prostitutas, cafetinas e cafetões como já vimos por exemplo em alguns escândalos em Brasília. Serve para um estuprador em Fortaleza que abusava de modelos. Para um golpista em Rondônia. Fachada para um pedófilo no interior de São Paulo e por aí vai.

Da realidade para a ficção a novela Babilônia tem no seu personagem Murilo, vivido por Bruno Gagliasso, o mesmo exemplo. Ele é um cafetão e envolvido com tráfico, mas que ninguém suspeita e todos pensam que ele é produtor de eventos.

São estas distorções e utilizações indevidas que acabam por desprestigiar e desrespeitar o Profissional de Eventos. Por esse motivo que Ana Claudia Bitencourt, Presidente da ABEOC Brasil, assinou uma nota pedindo o fim da utilização da profissão, como na novela, para atividades ilegais ou para designar pessoas de má índole. A nota foi divulgada no dia 30 de abril quando se comemora o dia do profissional de eventos. O texto é principalmente um pedido de respeito a um profissional tão completo e complexo que antes de tudo tem que ter uma qualificação.

Segundo Vanessa MARTIN, 2008, “Eventos são todos os acontecimentos previamente planejados, organizados e coordenados de forma a contemplar o maior número de pessoas em um mesmo espaço físico e temporal, com informações, medidas e projetos sobre uma idéia, ação ou produto, apresentando os diagnósticos de resultados e os meios mais eficazes para se atingir determinado objetivo.”

(Meio parecido com projetos né? Mas tem muita coisa que é diferente e nesta coluna vamos falar bastante disso, principalmente vamos falar sobre a necessidade de todo evento ter também um projeto prévio – mas isso é pra outros posts – é só acompanhar por aqui.)

Continuando…..

O mercado de eventos movimenta 4,32% do PIB – Produto Interno Bruto e gera mais de 7,5 milhões de empregos. Mesmo com a crise internacional é um setor que não para de crescer. Por isso é um grande desrespeito utilizar esta profissão indevidamente, pois os bons e sérios profissionais que orquestram os eventos no nosso país e contribuem para essa movimentação da economia precisam ser respeitados.

A autora da Lei 14.988/ 2013 que institui o dia do profissional de eventos é a deputada Célia Leão de SP. A data escolhida coincide com o aniversário do precursor dos grandes eventos no Brasil, Caio de Alcântara Machado.

A seriedade do trabalho de todo mercado pode ser conferida no Fórum do Setor de Eventos (ForEVENTOS) que é um fórum permanente criado em julho de 2011 para discutir assuntos de interesse comum do mercado de eventos, como Licitações, Trabalho Temporário e Articulação Política e Institucional. Alguns dos participantes são as maiores entidades organizadas que trabalham com eventos e turismo em todo o país como:

AMPRO – Associação de Marketing Promocional,

ABEOC – Associação Brasileira das Empresas de Eventos,

ABRACE – Associação Brasileira das Montadoras e Locadoras de Stands, Academia Brasileira de Eventos e Turismo,

ALAGEV – Associação Latino Americana de Gestores de Eventos e Viagens Corporativas,

EVENTPOOL – Associação de Agências de Turismo Operadoras de Eventos,

FBHA – Federação Brasileira de Hospedagem e Alimentação,

MPI – Meeting Professionals Internacional,

ABR (Associação Brasileira de Resorts – Resorts Brasil)

SPC&VB – São Paulo Conventions and Visitors Bureau

ABRAFEC – Associação Brasileira de Fornecedores de Eventos Corporativos e Tech House.

Mais informações:  http://www.abeoc.org.br/

continue acompanhando esta coluna. Gostou? Curta e comente. Mas também compartilhe com os amigos da área. Obrigada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *