PROFISSIONAL DE PROJETOS E EVENTOS

O profissional de projetos e eventos está em alta. É uma função mais que uma profissão, a gerência de projetos e eventos é interpretada de diversas formas. E esta diversidade de conceitos sobre o profissional também é refletida nos diferentes perfis em atuação no mercado.

PROFISSIONAL

Profissional da área deve ter muitas habilidades técnicas. Estas muitas vezez são um senso comum em organizações como o Project Management Institute – PMI ou associações de classe de projetos e eventos. Mas não há um foco ou tampouco um único consenso sobre as habilidades comportamentais exatas.

  1. Quem é o gerente do projeto ou de um evento?

Esse profissional é um especialista em fazer acontecer. Ele otimiza o que é de conhecimento comum e aplica, de forma coerente, o que há de melhor em técnicas e ferramentas para a condução de um empreendimento. A sua função é viabilizar a transformação de um plano em realidade.

Este “gerente” ou “coordenador geral” não é necessariamente um especialista no assunto específico que trata o projeto ou evento. Ele é principalmente um grande líder com visão holística de tudo o que acontece. É ele quem junta os fios do processo, acompanha, verifica, cobra e organiza.

A decisão de designar um gerente de projeto especialista ou generalista deve levar em consideração não o projeto em si, mas a estrutura colaborativa onde este será executado. O aspecto importante deste debate é garantir que, qual seja a competência ou conhecimento técnica sobre o assunto, ele seja um profissional com experiência comprovada.

O profissional tem que ter habilidades para essa administração. Hábil é “quem tem a mestria de uma ou várias artes ou um conhecimento profundo, técnico e prático de uma ou várias disciplinas” (Houaiss).

Deve ser hábil em aspectos críticos que envolvem a condução de um empreendimento. As habilidades que compõe o seu perfil são a sua formação e definirão o leque de ações que aplicará ao longo da execução do projeto. Ele tem que se antecipar às eventualidades e crises, ter boa comunicação, ser pró ativo, ser um líder e principalmente ser ético.

Antecipação – Estar sempre atento a problemas mesmo e principalmente antes de acontecerem. Esta é uma característica importante. Gerenciar riscos é tratar questões não concretas antes que estas se transformem em problemas. Evitar que algo desconhecido cause algum desvio é essencial para garantir o sucesso do projeto. Antecipação é uma habilidade muito importante.

Comunicação – O que uma pessoa fala não é o que o outro ouve. É importante garantir que a informação correta chegue ao receptor correto. Muitos problemas em projetos ocorrem por interpretações equivocadas ou por informações repassadas de forma incompleta. Cabe ao gerente do projeto ser o interlocutor de todo tipo de comunicação.

Pró-atividade – Uma postura fortemente reativa inviabiliza qualquer gestão de risco. Ter uma postura pró-ativa auxiliará no gerenciamento dos riscos. Demonstra capacidade, responsabilidade e comprometimento.

Liderança – Um líder não necessariamente nasce pronto, ele pode ser lapidado. O mais importante na liderança é a empatia seguida da resiliência. O líder é um ponto de referência. Auxilia a resolução de conflitos, tomadas de decisão, negociação, reporte de problemas e busca de soluções. Um líder deve entender o ser humano e seus conflitos.

Ética – Ética é o atributo importante para o profissional da área. A ética é uma ferramenta fundamental para que no futuro os problemas venham a tona. Podemos ter como exemplo projetos de viadutos que desabam por terem usado material inferior ou pulado etapas do processo. Pessoas que aceitam notas fiscais frias para diminuir os custos do projeto também. Ética é obrigação, mas vira atributo nos dias de hoje.

*** Gostou? Curta, comente e compartilhe. Conhecimento tem que circular. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *