LEI ROUANET – NOVAS REGRAS

Uma das novas regras para projetos que buscam apoio da Lei Rouanet diz respeito à contratação de pareceristas técnicos. As novas atualizações abrangem a gestão de profissionais, a classificação e distribuição dos projetos e procedimentos de análise e emissão de pareceres técnicos. As regras foram publicadas no Diário Oficial da União desta quinta-feira (13) e serão aplicadas a partir do próximo edital de contratação, previsto para este semestre.

O novo modelo trará atualização do valor pago por cada parecer emitido. O objetivo é ter um banco com profissionais mais qualificados, que atuarão em projetos de todos os níveis de complexidade. Dessa forma, não haverá mais a separação do parecerista para atuação em apenas determinados projetos, definidos pelo nível de complexidade, como ocorre com os 319 profissionais atualmente registrados pelo Ministério da Cultura.

Cada um deles só pode analisar projetos do seu nível específico, o que pode gerar, em determinado momento, acúmulo de análise, e noutro, ociosidade do parecerista.

A análise técnica pelos pareceristas é uma das fases de análise responsável pelo processo de aprovação dos projetos apresentados ao Ministério da Cultura e, pelas definições da portaria, o trabalho se dará com nova abordagem na emissão do parecer técnico. O parecerista deverá realizar uma análise mais cuidadosa em cada um dos itens técnico-orçamentários, de forma a aprimorar a análise dos projetos antes de chegar à Comissão Nacional de Incentivo à Cultura (Cnic).

Fonte: Portal Brasil, com informações do Ministério da Cultura

05 DICAS PARA TIRAR DA GAVETA SEUS PROJETOS


GAVETANietzsche famosamente declarou: “E se você olhar por muito tempo em um abismo, o abismo olha também para dentro de você.”. Em projetos sempre pense sobre isso.

Pare de olhar o abismo e comece a construir o futuro que você deseja. Quantas vezes você viu algum projeto ou empreendimento despontar e começar a ser sucesso e falou “poxa, eu já tinha pensado nisso!”?

Isso acontece com muita gente, principalmente os que criam em suas mentes idéias de projetos, soluções para diversos problemas ou necessidades, coisas criativas. Mas ficar no universo das idéias não passará sempre de um sonho. É necessário colocar em prática estes sonhos para não correr o risco de “perder” sua idéia. Não importa se você no meio do caminho terá que refazer prazos ou não, se terá os recursos ou não, mas o planejamento, o projeto, te deixará mais próximo do objetivo.

Jung com seus arquétipos e teorias dizia que o inconsciente coletivo é algo comum entre todos. Na época do Iluminismo em várias partes do planeta, mesmo sem se conectar, artistas tinham idéias muito parecidas, próximas, parecendo ser tiradas da mesma fonte. Esse inconsciente é como se fosse um banco de dados do universo e é dele que vêm nossas idéias. Nossas idéias são fruto da assimilação das necessidades, possibilidades, oportunidades e outros, com as ferramentas que possuímos. Também há traços da cultura, dos problemas e do ciclo de desenvolvimento. Enfim, é como se cada um colocasse no liquidificador seu conteúdo e o conteúdo externo, batesse e fizesse uma vitamina, essa é a idéia. Mas assim como você, outras pessoas podem ter quase os mesmos ingredientes, e é aí que projetos parecidos nascem. Portanto, se tem uma idéia, seja o primeiro a fazer o projeto. Não passe o resto da vida dizendo que você já tinha pensado nisso. Faça já.

E como sempre digo, projeto é uma receita de bolo com o passo a passo para executar a idéia. Então, escreva, coloque no papel o passo a passo do que pretende. Assim é mais fácil para apresentar a futuros parceiros, apoiadores ou patrocinadores, o seu projeto.

Mas para escrever um projeto, que é relativamente simples você precisa pensar em todos os itens que compõe um projeto. Desde os recursos humanos até os jurídicos e por aí vai. Há uma técnica, eu ministro cursos sobre isso, presto consultoria sobre isso. Porém, o mais importante é que projeto tem que ser a sua verdade, a verdade dos fatos da execução, real, claro, didático e principalmente um manual de como executar a SUA idéia. Mesmo que o maior especialista te ajude, só você pode fazer da forma que pensou. Então é você que tem que pensar, pensar, esboçar, esboçar e finalmente, ainda que com auxilio técnico de cursos ou pessoas, criar no papel SEU projeto. Esse será o diferencial junto a projetos parecidos.

Se você já está ansioso para transformar sua idéia em projeto comece então a escrever o esboço do que ele é, ou do que eles são. Muitas vezes temos mais de uma idéia. E como dizia Thomas Edson “Se quer ter uma boa idéia, tenha uma porção delas.”

Mas porque escrever antes no papel uma idéia que posso já desenvolver sem ter esse trabalho? Porque quando escrevemos, seja a lista do supermercado ou um projeto, lembramos de outros itens e observamos necessidades além do núcleo central da idéia. O exemplo fica fácil em uma lista de supermercado, por exemplo: a lista é grande então podemos identificar que tantos itens terão que ser trazidos por um carregador, ou terá que levar um carrinho, ou precisará de ajuda, ou para o complemento tal falta o X ingrediente, e principalmente, não comprar tudo o que vemos pela frente. Escrever define principalmente o foco, o escopo, e faz com que você tenha um caminho definido. Lembro de um ditado que gosto e uso muito do Sêneca “Se você não sabe pra onde está indo qualquer caminho serve”.

Segue então as 05 dicas baseadas em tudo o que falamos agora:

  • PRIMEIRA – Faça já. Não fique enrolando para pegar uma caneta e um papel e colocar tudo o que você quer fazer. Pode separar por área como profissional, familiar, pessoal, educacional.
  • SEGUNDA – De cada lista separe só o que você acha que é viável e poderá realizar no próximo ano. O que sobrar deixe numa lista “Para os próximos três anos”.
  • TERCEIRA – Para cada idéia, projeto, intenção, faça uma lista, um esboço de tudo o que vai precisar. Faça as famosas perguntas: O que é, como é, quando é, com quem é, porque é, quanto é, quanto tenho, quanto e quando vou precisar etc. Depois escreva o resultado disso e se for o caso, cadastre ou planeje o cadastramento em leis de incentivo, editais etc.
  • QUARTA – A partir de AGORA ponha o pé na estrada, ou melhor, os projetos em ação. Vá atrás de quem vai te ajudar nisso com dinheiro, com trabalho ou com parcerias. Comece a executar cadastrar, captar, construir, poupar etc.
  • QUINTA – Monitoramento e controle – Isso é fundamental. Seja quais forem seus projetos, você terá sempre que monitorar, ou seja, observar para ver se está no caminho proposto ou não, se tem problemas, se o cálculo está errado, se aconteceram imprevistos na execução. E controle que é a ação de readequar o projeto definido para a nova realidade observada no monitoramento. Essa parte é fundamental, pois um projeto não é algo amarrado e imutável, é eventual e sofre as conseqüências do meio. Porém, se não há um realinhamento o projeto pode ser um fracasso ou virar outra coisa do que o planejado.

Eu estou a disposição pra gente conversar e trocar Ideias.  Gostou? Curta, Comente, envie SEUS COMENTÁRIOS e dicas. Mas principalmente compartilhe, CONHECIMENTO TEM QUE CIRCULAR. 😉