LEI ROUANET – NOVAS REGRAS

Uma das novas regras para projetos que buscam apoio da Lei Rouanet diz respeito à contratação de pareceristas técnicos. As novas atualizações abrangem a gestão de profissionais, a classificação e distribuição dos projetos e procedimentos de análise e emissão de pareceres técnicos. As regras foram publicadas no Diário Oficial da União desta quinta-feira (13) e serão aplicadas a partir do próximo edital de contratação, previsto para este semestre.

O novo modelo trará atualização do valor pago por cada parecer emitido. O objetivo é ter um banco com profissionais mais qualificados, que atuarão em projetos de todos os níveis de complexidade. Dessa forma, não haverá mais a separação do parecerista para atuação em apenas determinados projetos, definidos pelo nível de complexidade, como ocorre com os 319 profissionais atualmente registrados pelo Ministério da Cultura.

Cada um deles só pode analisar projetos do seu nível específico, o que pode gerar, em determinado momento, acúmulo de análise, e noutro, ociosidade do parecerista.

A análise técnica pelos pareceristas é uma das fases de análise responsável pelo processo de aprovação dos projetos apresentados ao Ministério da Cultura e, pelas definições da portaria, o trabalho se dará com nova abordagem na emissão do parecer técnico. O parecerista deverá realizar uma análise mais cuidadosa em cada um dos itens técnico-orçamentários, de forma a aprimorar a análise dos projetos antes de chegar à Comissão Nacional de Incentivo à Cultura (Cnic).

Fonte: Portal Brasil, com informações do Ministério da Cultura

CROWDFUNDING UMA IDÉIA PRA SER USADA

crowdfundingO que a Kickstarter e a Indiegogo tem em comum? Ambas ajudaram a realizar um sonho de milhões de dólares para produtores de cinema. Estes dois portais de financiamento coletivo, o famoso “Crowdfunding”, tiveram em suas plataformas filmes e documentários que ultrapassaram a marca dos 2 milhões de dólares, por projeto, e que já estão em produção.

Nestas, e em outras plataformas por todo o mundo, milhares de projetos da área de cinema, música e outros estão lá para ser patrocinado. E vão conseguir.

crowdfunding 2Zach e Adam Braff do filme Wish I Was Here”, lançado em julho de 2014 nos EUA e estrelado por Zach Braff e Kate Hodson, podem comprovar esse feito. O projeto do filme entrou na Kickstarter em abril de 2013 com uma campanha para arrecadara dois milhões de dólares. Em 24 de maio de 2014, fim da campanha tinha arrecadado 3.105.473 milhões de dólares de 46.520 pessoas de todo o mundo.

Assim também tem sido a história cada vez mais constante e real de milhares de profissionais da cultura em todo o mundo. No cinema, área musical, na literatura, em projetos sociais, esportes, ONGs etc. 6 bilhões de dólares já são movimentados mundialmente onde uma média de quase 30% dos projetos atinge o seu objetivo ou até ultrapassam.

Crowdfunding ou simplesmente FINANCIAMENTO COLETIVO é a prática do financiamento de um projeto ou empreendimento, conseguindo contribuições a partir de um grande número de pessoas, normalmente através da Internet. É uma ferramenta para empreender e realizar projetos.

O modelo do financiamento coletivo funciona numa tríade com três atores: o criador do projeto que tem a idéia; indivíduos ou grupos que apóiam a idéia e uma plataforma (site) que sustenta a idéia e recebe as contribuições.

Cada plataforma trabalha de uma maneira com relação à sua forma de remuneração. Os valores podem variar de 5 a 20% do valor do projeto dependendo da forma de trabalho. Existem sites que são o “tudo ou nada”, ou seja, você recebe tudo se conseguir o montante pedido ou eles devolvem tudo para os doadores caso não consiga. Existem sites mais flexíveis que tem metas para o mesmo projeto, mas te cobram os resultados. E tem os que ainda permitem que sua captação, dentro de um prazo estabelecido, supere o valor inicial.

O financiamento pode ser de qualquer valor, sem nenhum retorno palpável. Pode ser por cotas ou por valores estipulados ou ainda pode ser pelo sistema onde o “patrocinador” compra antecipadamente o produto para receber quando o projeto atingir o valor necessário de produção.

MAS FIQUE ESPERTO, NÃO É MÁGICA NÃO!!! COMO TUDO, VAI DEPENDER SEMPRE DE VOCÊ.

As plataformas são apenas as ferramentas. Elas te ajudam a mostrar para o público o seu projeto, ajuda a formalizar, controlar e facilitar as doações. Além disso, esta plataforma tem milhares de projetos ancorados “concorrendo” com o seu.

Portanto, para conseguir um bom resultado, faça o dever de casa, o principal é que você também participe e participe efetivamente das divulgações e prospecções em suas redes sociais e entre clientes, fãs e amigos. A campanha é principalmente sua e da sua equipe de trabalho.

No Brasil já temos vários sites que oferecem este serviço que tem um grande potencial de crescimento aqui no Brasil, segue alguns que eu lembro agora:

Pague Pra Ver – Idéias Criativas – www.paguepraver.net.br  / Bicharia – http://www.bicharia.com.br / Benfeitoria – http://benfeitoria.com / Catarse – http://catarse.me / Garupa – http://garupa.juntos.com.vc / Ideame – http://idea.me / Juntos – http://www.juntos.com.vc / Kickante – http://www.kickante.com.br / Impulso – http://www.impulso.org.br / Salve Esporte – http://www.salvesport.com / Sibite – http://www.sibite.com.br / Startando – http://www.startando.com.br  / Vakinha – http://www.vakinha.com.br

(se você conhece outros deixe aqui nas mensagens como dica para os leitores)

Mas também, através de mecanismos de sites como o Paypal, PagueSeguro, Moip ou similares que trabalham com recebimento e vendas você pode criar seu financiamento coletivo no seu próprio site.

Então pronto, aproveite as informações e comece agora a pensar também nestas possibilidades para o seu projeto. Mãos a obra.

Gostou? Curta, Comente, envie SEUS COMENTÁRIOS e dicas. Mas principalmente compartilhe, CONHECIMENTO TEM QUE CIRCULAR. 😉